13.5.10

Meu romance blogueiro






Nunca havia falado sobre isso até então, mas não suporto carregar mais comigo toda essa angustia em silêncio... Terei de falar sobre o fim do meu caso com a Vaca Jersey. Sim... Nós tivemos um caso. Pra ser mais preciso eu tive um caso com ela.

Nos conhecemos na turbulenta 2009 quando ela ainda usava uma outra identidade, me encantei logo que a vi. Antes da metamorfose ainda atendia como ele e vivia recebendo mil gracejos, nunca imaginei que um dia teríamos algo. Foi uma relação tórrida e intensa... Eu o desejava com cada átomo do meu corpo, acordava suado no meio da madrugada, sentia calafrios constantes. Até que um dia aconteceu...

Discutíamos muitas vezes e em algumas vezes partíamos para agressão.. Mais eu do que ele, assumo. Por conta dos meus ciumes doentios passei a beber compulsivamente... Bebia com antidepressivos, fazia escândalos, rogava praga, xingava, tinha crise de choros compulsivas e fazíamos amor loucamente depois. A minha obsessão foi se tornando disforme, até que um dia abri a porta dos armários e estavam vazios... Não havia nada, nem ng... Só o vazio.. Eu o procurava pelas noites, buscava seu rosto em todos os cantos... Pedi ajuda de Mauri Boffil, ele é influente, conhece tantas pessoas, além de ser um grande entendedor de feitiçarias e afins... Os esforços foram inuteis... Passei dias em cima duma cama a espera de um telefonema, uma pista, um contato... Nada... Comecei a não sair mais de casa, me tranquei dentro de mim. Por insistencia, a única coisa que fazia era ir a casa de Paulo Braccini dias de quarta-feira a tarde, quando ouvíamos os seus vinis da Bethania e comíamos quitutes feito pelo Paulo. Era divertido -lo nu (Paulo só anda nu em casa) interpretando reconvexo.

De pouco a pouco fui voltando a minha vida social, ainda pensava muito nele, todas as noites ouvia nossa música antes do prozac. Dormia abraçado com sua cueca e acordava diversas vezes achando que tinha ouvido sua voz. Os encontros com o Paulo foram aumentando e variando de local... Fomos na festa da nova casa do Edu, conhecemos a tenda da tal mulher asterisco (e ela me deu um biscoito da sorte), entramos na toca do lobo. A falta que me consumia foi passando, até que surgiu uma nova personalidade na cidade... Linda, com seus seios fartos e um ar superior que me causava algo que não conseguia identificar. A Vaca Jersey era adorável, eu amava o timbre da sua voz, o jeito de falar, sua risada no ponto. Nos aproximamos rápido e comecei a sentir algo no peito novamente, algo que não acreditava mais que poderia sentir... Havia alguma coisa nela que não sei dizer. Cheguei a pensar que era ele, mas como poderia??? Pensei ser mais um de meus devaneios, mas novamente o Paulo me auxiliou e disse tb ter sentido uma vibração, como se fosse algo de outras vidas. Numa noite a vaca veio me visitar, depois de algumas doses de vodka (com desobesi), comecei a ter mais uma crise, mostrei fotos dele, chorei, me desesperei... Fiquei assim, como ele gostava... Foi então que a vaca me segurou com força e me jogou na cama. No amamos intensamente naquela noite e foi quando senti o seu cheiro de búfalo e fitei seus olhos no momento do gozo não senti dúvida e disparei:

Você voltou.

Não havia o que ser perguntado, queria apenas as explicações... A confissão foi imediata, junto com lágrimas, gritos, quebra-quebra e muito mais sexo. Xingava, gemia, gritava, chorava e ria ao mesmo tempo... Explicou a fuga, disse o quão não suportava mais, o quanto não suportou a distancia de mim que levou a loucura da cirurgia para que pudesse voltar sem ser ele, que foi inútil na tentativa de me enganar. Eu não acreditava que aquilo estava acontecendo, meu homem, ainda que com tetas, voltou para minha cama. Fazíamos sexo dia e noite, mas o meu medo.. O pânico de um novo desaparecimento repentino, fez gerar em mim todo comportamento disfuncional novamente...

Mais gritos, objetos quebrados, hematomas, cicatrizes... Estava doente.. Todos me diziam que estava doente... Eu não conseguia largar nenhuma das minhas drogas, nem a bebida, nem o prozac, menos ainda ele. Comecei a tentar investir meus sentimentos em outras frentes, descentralizar minha atenção. Até que um dia, num grito eu vi o que precisava... Aquela imagem.. A visão que eu precisava ter. Aquela sunga branca... Foi a sunga branca naquele 1,90 e 89kgs.. Nas pernas mais bem torneadas que nunca havia antes visto. Após aquela imagem cheguei a casa, olhei pra ele nua em cima da cama e disse:

Não precisa se preocupar, hoje eu não vou gritar, estou indo.

Dei três passos até a porta, cogitei olhar pra trás... Desisti e segui em frente. Rumo a uma nova visão.

14 comentários:

  1. Yag é o maior pegador de blogueiros que eu já vi. Hahahahaha.

    Vai lá meu fio, afogue-se naquela sunga branca e depois quero os detalhes sórdidos.

    ResponderExcluir
  2. Estou meio perdido.. hahaha
    Gato, gato, juízo!

    ResponderExcluir
  3. Olha, eu não entendo muito bem essas relações zoofilicas! Mas depois da foto, estou em um polêmica interna. (Polêmica interna, usei essa expressão em outro blog e estou com ela na cabeça, acho que vou colocá-la na minha monografia).

    ResponderExcluir
  4. Depois deste post o mundo da blogaysfera nunca mais será o mesmo ... esta tribo de zoófilos ensandeceu de vez ... #TÔBOBA ... o melhor post que li nestes meus quase 03 anos de blog ...

    #TÔBEGEANILINA

    PS: recadinho básico para o Baiano Ajuense ... te cuida viu? não se deixe enganar pelas GARRAS DO GATO ... ele é assim mesmo viu?

    Desfrutou enquanto pôde do GA ...

    Secou a VACA ...

    Comeu até não mais poder o meu QUITUTE ...

    Agora estamos aqui jogados na SARJETA enquanto ela, em sua ânsia por saciar suas taras sexuais, passa a GRITAR GRITAR GRITAR rumo a uma nova VISÃO psicótica.

    ;-)

    ResponderExcluir
  5. Eu ri. Ri muuuuuuuuuuuuuito.
    Quanta inteligência, safadjenho! Adoro isso em você. Sou grato pelo elogio, mas quando eu estiver com toda a barriga dividida, ai sim estarei pronto e feliz.
    Bjs gatão!
    P.S.: vou tomar cuidado, Paulo.

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o Paulo... em dois anos de blog nunca li um texto tão excitante!!! No começo até acreditei... depois não achei mais possível... Eu não queria que o texto acabasse... Mas enfim... Anseio por mais devaneios seus!!!

    Só relembrando... também conheci a Vaca quando ela atendia por outro nome... e realmente era de causar furor em qualquer blogayro!!!

    Acredite... também sofri com a partida dele(a)!!!

    ***

    xD

    ResponderExcluir
  7. AHAUAHUAHAAUAHUAHAU

    Caraca, que devaneio viajante! Quero ver só a reação da vaca quando ler esse destrate. Babado e confusão está por vir!

    Cadê minha pipoca?

    *Porrada, Porrada, Porrada!*

    Beijos Gatón!

    ResponderExcluir
  8. Tem resposta ao seu post por lá ... confere depois ...

    bjux

    ;-)

    ResponderExcluir