27.7.14

RuPaul's Drag Race



E foi cinco anos depois da estreia de RuPal's Drag Race na TV que o gato foi assistir uma temporada inteira pela primeira vez (viva ao netflix). A bem da verdade que normalmente eu não curto muito ver Reality Shows gringos, salvando pouquíssimas exceções (tipo o x-factor). Em geral acho que as questões culturais acabam fazendo o reality menos reality do que já não é mesmo. Porém , no caso de RuPal eu tinha uma certa curiosidade e resolvi pagar pra ver, assistindo a quinta temporada e sinceramente, não me arrependi.

Pra começar nossa conversa vou falar um pouco do aspecto socipoliticoideologicoetcetal na perspectiva da pauta gay.. Aliás.. Mais do que da perspectiva da pauta gay, eu diria que da perspectiva da pauta humanitária. O reality mostra um grupo de rapazes que atuam como Drag Queens, estamos falando aqui do epicentro do gueto homossexual. Quando o cara da UOL faz questão de te dizer que não é do meio, ele está renegando o que RuPaul exalta. As maquiagens caricatas, os vestidos repletos de brilhos e as perucas extravagantes formam personagens que são cicerones de um universo marginalizado, RuPaul mostra o que há por traz de tudo isso... Praticamente todos os participantes carregam consigo historias de abandono, discriminação e muito preconceito. As intrigas que são tão vinculadas ao gueto aparecem de forma clara, porém não podemos esquecer que intrigas em disputas são o carro chefe de qualquer reality show ou, pq não dizer, de qualquer conglomerado humano. RulPaul brinca com esse traço e estimula que de forma quase que lúdica os participantes em tarefas treinem a acidez do seu humor falando umas das outras, dela mesma, e dos jurados. As mesmas que brigam são as mesmas que se abração e se apoiam quando alguma delas desmorona.. E elas desmoronam.. RulPaul mostra com muita clareza o quão cinza é o conteúdo que se converte em arco-íris. De forma muito delicada Ru repete bordões que exaltam a cultura gay e estimulam o amor próprio, ela e seus jurados conseguem mesclar a acidez do meio gay a generosidade que a gente precisa aprender a alcançar no trato com nossos semelhantes. A preocupação com os padrões de beleza são tmb minimizados e reduzidos a zero... Gordinhos, beeem gordos, magrelos, esquisitos com traços marcantes.... Pessoas absolutamente fora dos padrões de beleza  que viram verdadeiras divas quando sobem no palco, aquilo que é esquisito lá fora, lá dentro vira um solo fértil para grandes transformações. 

No que tange ao programa em si, é absolutamente excitante. Semanalmente as participantes passam por provas e uma delas é eliminada. Já parou pra pensar quantos talentos são avaliados numa Drag Queen?? É preciso ser um artista completo... Cantar, dublar, dançar, atuar,imitar,  fazer humor, costurar, maquiar... Daí que a excelente cantora pode ser péssima humorista, ou a que dança muito bem não seja uma eximia maquiadora.. As provas envolvem sempre alguns desses aspectos e ai é preciso destacar-se no que se faz bem e saber dar o truque no que não se sabe fazer. Confesso que foi o primeiro Reality Show em que aspectos técnicos são avaliados e as historias pessoais dos participantes contaram pra minha torcida, mas ali é bem complicado não tocar, criatura e criador se envolvem numa história quase que única, são alter egos que nascem da dor do seu criador. Também foi o primeiro reality que eu fiquei migrando de favoritismo várias vezes e estava confuso no final da história. A falta de previsibilidade e os novos sentimentos que trouxeram pra mim, um veterano fã de reality show, me faz pensar o quão bom é de fato este produto, pq realmente pouca coisa me toca hoje como o BBB1 ou a Casa I me tocou um dia... 15 anos depois, Rul Paul Me proporcionou isso... Imagina se tivesse acompanhando semanalmente pela TV.

Então Senhores, misturem bom gosto, com originalidade, com compromisso social, com diversidade, com castings fantásticos e muitas cores.. Pronto.. Chegamos na RuPaul... Em pouco tempo vejo as outras temporadas e ai faço um post recomendando alguma pra quem nunca viu, mas olha, caso não queira esperar corre atrás hj mesmo, pq sim.. Vale a pena!!!

12 comentários:

  1. Acho que não vi até hoje pelo mesmo motivo que vc...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vale tentar vencer o preconceito com a Srta Paul!!

      Excluir
  2. eu não costumo baixar realities também, acho estranho ver realities de outros países, sempre achei, mas conheço Ru Paul há bastante tempo já, sei do sucesso que o programa faz.

    ResponderExcluir
  3. Conferir eu irei! E sim: viva o Netflix... hehe!

    ResponderExcluir
  4. Ultimamente realities não me predem muito, só os musicais tipo The Voice. Esse ano acompanhei O Aprendiz Celebridade, quem sabe A Fazenda prenda a minha atenção tb.... Esse reality eu não conhecia mas nossa fiquei super afim de assistir!!!! To torcendo para passar em algum canal de tv a,cabo,pq detesto ver qualquer coisa no computador, ainda mais agora que aposentei ele por um tablet e minha tv é da década passada não tem essa modernidades de Netflix!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jansen ele passa na VH1. Não sei se está passando atualmente (acho que não), mas busca no site se tem alguma reprise programada pq passar ele passa com certeza!!!

      Excluir
  5. De tanto ouvi os meus amigos falarem eu comecei a assistir, só os três primeiros episódios da primeira temporada. Só sei que não gostei da Akasha e assisti até o ponto que ela pegou descendo. Mas vamos lá, de tanto ouvir os amigos falarem e de tanto boiar nos assuntos que falam de RuPaul vou ter que assistir. Talvez mais a frente eu comece a gostar mesmo como de outras séries.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Messias, depois da quinta eu resolvi assistir todas, começando da primeira.. E cara.. Não tem comparação na qualidade da edição, dos candidatos, das provas, de nada.. Minha dica é.. Comece pela última, semana que vem vou começar pela sexta que chegou no netflix!!

      Excluir
    2. Comecem pela quarta para entender a quinta, muito bom.

      Excluir