9.5.11

Uma Historia de amor em 3D











Uma oportunidade unica que a vida me deu:


Assistir uma historia de amor com final infeliz em 3D...



Por que em geral as historias de amor são em 3D mesmo, mas só temos acesso a uma dimensão. Quando vivenciamos uma estamos a todo tempo partindo do nosso referencial, na constante tentativa de encaixar o outro nas nossas expectativas e mante-lo num padrão de comportamento que nos agrade.



Quando ficamos até as 02:00 da manhã no telefone, com aquela amiga que já esgotou o estoque de lenços da farmácia, mais uma vez temos apenas uma das dimensões da historia.



E quando é que rola o 3D??? Quando os envolvidos na historia são amigos de longa data... Vc os conhece, conhece o passado e tem um prognóstico pronto, quase uma premonição.



Embora a historia tem seu "Q" de trágica ela trouxe uma moral muito mais proveitosa do que os açucarados contos de fadas ou os óbvios textos da Marie Claire.



De um lado está ela... A menina que durante o segundo grau tinha pouca expressão. Tímida, quieta, magrelinha, sempre com o cabelo preso, quase não se ouvia a voz. Quando falava era baixo, os risos abafados e o olhar sempre para o chão.



Do outro ele.. Ainda no segundo grau não era nenhum principie, mas era da dos populares.. Alegre, divertido, figura central da galera do fundão... E é claro que embora não fosse o mais gato, tinha uma legião de fãs.



Os anos se passaram e todos nós meio que nos afastamos. Dela, como era de se esperar, houve uma perda total do contato. Ele saiu do segundo grau para coluna social... E virou um príncipe, lindo e bombado... Qdo os amigos daquela época se encontravam, não era pouco comum te-lo como assunto central.



Anos depois resolvemos nos reencontrarmos... Fazer um Churrasco de fim de ano que teria uma periodicidade anual. A volta foi maravilhosa... nos revermos foi um sonho... E ela para nossa surpresa reapareceu.. Alguns se que lembravam... E tomaram um susto quando a vira... 10 kilos a mais.. Cabelos longos e ondulados... Senhores a moça estava de parar transito... O sorriso meigo que outrora dava um ar meio que sem sal, virou sinônimo de charme e elegância... Ela volta por cima. Como Josie Geller de "Nunca Fui Beijada", retorna com a intenção deliberada de aproveitar mais daquele segundo grau que acabou... Juntos, tínhamos todos 16 anos de novo.. Voltar aos 16 e estar no centro do jogo era um bálsamo.



Nos anos subseqüentes ela virou "da diretoria" mesmo, os churrascos passaram a ser na sua casa e os meninos mais bonitos passaram a corteja-la... Virou objeto de desejo.. Inclusive dele.



Todavia é bom ressaltar que ela ainda que linda, possuia um leve tom de ingenuidade e insegurança no olhar... Ele é caçador nato... Um belo exemplar da espécie homem... Cafajeste ao maior estilo, com direito a um sorriso arrebatador e um jeito ogro de ser... E nós... Bem... Nós claro que entendemos, respeitamos e aceitamos como é, afinal é amigo. Bonito, dono de um negocio próprio, tem seu carro, seu apartamento, vive sozinho, no alto dos seus 27 anos... Pra olhos mais inocentes a fórmula certa de um homem ideal, pra um olhar mais cuidadoso, a formula ideal pra uma vida mais ordinária.



Coscidentemente os nossos dois personagens eram vizinhos de porta... O cenário estava montado... Mas é claro que essa mosquinha não cairia nessa teia fácil.. Tudo bem, não houve pressa... Uma hora ela caiu... Morre um amigo nosso, que era praticamente um irmão dele... Temos um príncipe desconsolado no alto de um castelo.. E ora vejam vcs... Na frente do castelo vivia uma doce e delicada princesa... Era só atravessar a rua... E ela atravessou...



Eu assim que soube, já cantei a pedra: Vai da merda!!!!



Foram dois meses... Dois meses para ela entrar no quantitativo de corações dilacerados pelo nosso falso homem ideal. Durante o tempo que estiveram juntos, nada foi oficializado diante de nós, mas sabíamos... Sabíamos pelos bastidores: Pelos telefonemas, sms, encontros informais pela rua... Todo mundo sabia, como todo mundo soube do fim (sem saber exatamente o porque) e em respeito manteve-se o silêncio.



Sábado passado ele resolve marcar um encontro da galera... E ai.. Só aparecem 5... Pra ficar a noite toda, apenas 4... Ele, ela... Eu e mais uma... Ela surgiu deslumbrante, linda e chorosa, com os olhos marejados a noite inteira.. Ele de boa, é claro.. Risonho, brincalhão... Ela não suportou e num dado momento agarrou o amigo gay e desabou... No meio da pista a gatinha chora diante do falso príncipe. E durante a noite trava-se uma guerra de indiretas e alfinetadas.



Ouvindo a fala dela criei na minha cabeça a imagem de um sociopata... Ele era aquele homem execrado nas colunas da Claudia e nos textos da Martha Medeiros. Misógino, machista, maniqueista, que vive pra destruir a auto-estima de uma mulher e assim manter seu ego.



Ouvindo a fala dele criei na minha cabeça a imagem de uma louca, desequilibrada, infantil, emocionalmente insegura que trata o fim da relação de dois meses como se tivesse casada há 10 anos com três filhos.



Diante de mim, uma menina-mulher que acreditou em algo, apostou todas as fichas, se jogou de cabeça e agora vive a frustração de um amor que não aconteceu.



Diante de mim um homem, que tentou mais uma vez, e não conseguiu.. Tem dificuldades com sentimentos e em estabelecer vinculo, mas estava frágil naquele momento e tentou...



Temos então quatro personagens... Dois vilões... Duas vítimas.... E com isso qual a moral da historia de amor em 3D??? Simples... Na historia de amor em 3D os seus personagens vivem a constante crucifixão de seu algoz na tentativa de espantar o fantasma do algoz que tem dentro de si... Se eu não me implico sou a eterna vítima, não preciso mudar nada, só esperar o momento em que encontrarei um redentor, alguem na altura dos meus sonhos. Enquanto esse dia não chega permanecerei sendo a confortavel vítima de um mundo injusto que faz de mim um mártir... Uma montada princesa complicada e perfeitinha ou um incompreendido príncipe no alto de um castelo de mentira.








Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias. Díficil é encontrar e refletir sobre seus próprios erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado. E é assim que se perde pessoas especiais."








Carlos Drummond de Andrade











8 comentários:

  1. Orra, Gatão... aplausos pra você e sua análise da coisa! É isso mesmo!! Duro é enxergar a verdade quando acontece com a gente. Tomara que eles consigam!

    ResponderExcluir
  2. Gato... repito: sexo. Vc precisa de sexo e com urgência... hahahaha!!!! Just kidding, man! Gostei do seu "approach"... Hugz!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Fred????

    Mas vcs sabem que as vezes eu tenho a nítida sensassão que vc comenta os meus posts sem ter lido um "a" do que eu escrevi

    ResponderExcluir
  4. as vezes venho aqui, leio e comento, as vezes não mas hoje, eu queria escrever alguma coisa mas não sei o que a não ser que ao ler seu post, ouvia a música certa e as duas coisas se combinaram e me dexaram num estado sem igual.

    um daqueles momentos de transcendência sabe? fato.

    ResponderExcluir
  5. Cocteau Twins - 'Sea, swallow me'

    ResponderExcluir
  6. É que as vezes as viagens gatúnicas são tão enroscadas e rocambólicas que fico achando que precisas mesmo é ser phodido com força... HAHAHAHAHAHAHAHA!!!!
    Bjzzzzzzzzz!!!!!

    ResponderExcluir
  7. Uma visão de um profissional das mentes ... estas histórias são lugar comum na humanidade ... mudam os personagens e alguns adereços mas o enredo é sempre o mesmo ... a causa? Imaturidade ... só isto ... as pessoas continuam a sonhar com contos de fadas e viverem longe do mundo real ... se julgam príncipes e procuram princesas e vice versa ... somos tão somente seres humanos com virtudes e defeitos ... o dia q todos se derem conta disto as relações serão mais serenas e reais ... pelo menos é o q eu acho ...

    bjão querido ...

    aqui entre nós: se algum dia eu vier a fazer análise outra vez eu já tenho o meu analista ... Dr. Gato ... #FATO

    ResponderExcluir