3.8.11

Saldo das "férias"

O Trabalho Dignifica o homem... Oi???

Filosofia burguesa de quinta... E olha que amo o que faço, trabalho na profissão que escolhi pra mim, imagino quem trabalha com o que odeia. O ônus do trabalho, pra mim,não está na sua execução, mas tudo que tenho de abrir mão em função dele. Por que eu era uma pessoa mais interessante quando trabalhava duas vezes por semana... Duro, é verdade... Mas a verdade é que atualmente não to rico e não viajo mais (por que não tenho tempo nem saco), raramente sento pra ver um filme, não vejo mais nenhuma serie, ler um livro então.. Nem pensar... Décadas sem ir ao teatro.. Só me restaram os reality shows... Enfim..To no fundo do poço!!! Dignifica, né?? Ahan... Só podia ser coisa de crente...

O fato que esse tempinho longe da chibata me serviu pra dar um up nos meus hobbies... Fui ao cinema duas vezes.. Assisti o Brazuca “Assalto ao Banco Central“.. Amei e super-recomendo...

Deu até vontade de assaltar um banco... No filme tem uma citação do Lenin que diz “mais grave que assaltar um banco é fundar um banco.”.. Apoiadíssimos, eles assaltam a todos nós diariamente... Os atores são ótimos, a historia envolvente, um filme gostoso de se ver... Quem meteu o malho naturalmente foi esperando ver “missão impossível in Brasil”... Ai decepciona mesmo... O filme tem a pretensa de mostrar a fragilidade do sistema financeiro, a corrupção da policia e outros fatores que colaboram para que 3 toneladas em notas sejam roubadas de um banco. 160 milhões onde, reza a lenda, apenas 20 milhões foi recuperado.





Depois vi Meia Noite em Paris... Assim, pessoas.. Eu não gosto do Woody Allen, sabe?? Não entendo por que se adula tanto ele. O filme é bonitinho, gostei bastante da moral da historia, o roteiro é bem redondinho... Muito redondinho... Tão redondinho que chega a ser didático, parece uma cartilha do ministério da saúde. Ele tem como componente aquela crítica que sempre faço a sobriedade fria e bem educada Europeia. Ainda que os personagens principais sejam americanos. Carla Bruni aparece no cartaz, mas é figurante.. Quase que passando só pelo fundo..Fikei puto, odeio propaganda enganosa!!! Mas ainda sim gostei da ideia. O filme conta sobre um escritor americano apaixonado por Paris, em especial a Paris da década de 20 em noites de chuva. Apaixonado pelos artistas, filósofos e intelectuais franceses o escritor escreve um livro que acaba tendo clara na sua narrativa a insatisfação com o tempo em que vive. Porém, misteriosamente numa noite solitária ao dar 00:00 ele volta a Paris boemia da década de 20 e tem a oportunidade de conhecer todos os gênios por quem é fascinado. O fenômeno começa a repetir-se toda noite e nessa deliciosa viagem Woody além de retratar uma época problematiza sobre essa sensação de que o passado sempre é melhor... Gostosinho o filme, mas.. “inho”...


Tb nessa semana em que o ócio me provou mais uma vez que é ele quem me dignifica consegui finalmente terminar o livro que estava lendo: Batman e a filosofia. Um grupo de autores analisam a historia dos cavalheiros das trevas sobre a luz da filosofia clássica, pra quem é fã a leitura vale a pena. Devo dizer que achei um pouco repetitivo vez ou outra, talvez por ser um autor por capítulo e ai eles acabavam por repetir coisas básicas.



Gostei, em especial, de um capítulo que falava sobre o coringa. Talvez por ser esse o meu primeiro pseudônimo na net e que ainda hoje uso... O Príncipe Palhaço é um personagem fascinante, um inimigo moral que confunde o herói a cerca do seu próprio papel

O trecho que mais me chamou atenção já postei aqui, mas vale reforçar... A fala refere-se a uma historia em que a psicoterapeuta do Asilo de Arkhan explica pra Batman por que acredita que os métodos usados com o Coringa nunca funcionaram, na ocasião ela diz:

"É bem possível que estejamos diante de um tipo de supersanidade aqui. Uma brilhante nova modificação da percepção humana, mais adequada á vida urbana do século XX (...) Diferente de você e de mim, o Coringa parece não ter nenhum controle sobre a informação sensória que recebe do mundo exterior (...) Ele só pode lidar com a enxurrada caótica de informações seguindo o fluxo (...) Ele não tem uma personalidade real (...) Ele se cria todos os dias (...) O Coringa vê a si mesmo como o senhor do desregramento e o mundo como um teatro do absurdo"

Me senti assim.. Representado...

E é isso ai, gente.. Aqui se despede esse homem dignificado pelo trabalho e formado pelo ócio... Pk é isso que eu sou, tirando a dignidade todo o resto foi moldado pelo nosso bom e velho ócio...

10 comentários:

  1. Tá vendo?? O ócio pode ser criativo...

    Também gosto muito do meu trabalho, mas sempre pensei que a proporção trabalho / férias deveria ser invertida... hehehe

    Abraços!!

    ResponderExcluir
  2. assim... sobre Meia-noite em Paris, notou que a maioria dos escritores e intelectuais não são franceses? são americanos q como ele passavam uma temporada em paris?

    ResponderExcluir
  3. super up sua ociosidade ... adoro um ócio produtivo ...

    ResponderExcluir
  4. Ócio vence trabalho sempre. Trabalho só serve mesmo para sugar nossa alma e vontade de viver hahaha

    ResponderExcluir
  5. Já acabou???? As férias????? Jura????? E tu nem comeu ninguém!!!!!!???? Hahahaha!

    ResponderExcluir
  6. adorei seu comentário no blog
    inteligente
    ponderado
    parabéns, mesmo!


    e o comichão na bunda a gente resolve mais tarde tá?
    =D

    ResponderExcluir
  7. quem proferiu essa frase infeliz, não trabalhava e a soltou justamente para engabelar os que, como nós, precisam trabalhar, fato!

    Olha, não me anima muito ver filme sobre assalto de banco, nada contra ser nacional, mui o oposto mas, sinceramente, nem me interessa filme caça niqueis sobre algo que está mais para 'Ocean's 11'...

    Woody? e eu que achava que só eu achava ele assim ó, mais ou menos, legal sim, engraçado às vezes mas mega valorizado e cultuado...

    O morcego é meu ídolo, fiquei afim de ler mas, penso que às vezes, essas coisas devem permanecer no âmbito em que melhor servem, diversão, distração, fantasia, começar a teorizar sobre elas buscando os ecos de realidade faz sentido mesmo porque existe a mensagem sob a capa mas, vamos apenas nos divertir? que tal?

    ResponderExcluir
  8. pode cobrar sim, eu resolvo o seu comichão, vc resolve o meu. não é? uma mão lava a outra, eu coço suas costas vc coça as minhas. hehe

    ResponderExcluir
  9. olha, estou no período mais tranquilo da minha vida - mais tranquilo = sem trabalhar tanto - e talvez seja o período em que menos tenho feito coisas que me dão prazer. cinema, livros, música... quase nada!!!
    geralmente, quanto mais trabalho, mais faço coisas assim...
    vá entender ne´?

    abraços

    ResponderExcluir