26.4.09

80 anos... Que onda...

Dia 25/04/09 fez 80 anos que Dona Ruth (a senhora, minha avó) tem caminhado pela terra... Segundo ela não se imaginava por aqui em 2009, mas está, e muito lúcida... No final do dia, sentado no sofá da sala, estávamos eu e ela, batendo um papo sobre esses 80 anos... E tem historia... Ela começou contando de sua avó (imagina isso, hein)... Dizia ser uma mulher linda, branca de cabelos muito longos... Cearense... Família bem abastarda, muito dinheiro, em suas terras haviam dois lagos que nunca secavam... Ficou noiva de um excelente partido, que a abandonou praticamente na hora do casamento. Irritada disse que se casaria com o primeiro que passasse... Casou com um negro pra desgosto da família... Veio para o sudeste, mas precisamente, Cachoeiro de Itapemirim... Minha bisavó foi criada com muita pobreza... A minha avó, um pouco melhor... Ela lembra com muita clareza de sua juventude... Qdo perguntei sobre a guerra ela imediatamente falou: 8 de maio de 1945... Lembrava a data exata de qdo acabou... Lembrou tb de um primo que foi mandado pro interior do Mato Grosso, pra defender as fronteiras brasileiras e que vivia no meio dos índios... Lembrou das correspondências que trocavam...

Disse que tinha uma filosofia... Rei morto, rei posto... Qdo brigava com um namoradinho de manha a tarde já estava com outro... Que pegava trem qdo ia passear no Rio de Janeiro, se chamava, rapidíssimo, saia daqui as 10:00 e chegava lá as 20:00... Ela adorava o passeio, toda vez que ia ao rio tomava muito chikabon...

Perguntei se lembra de qdo conheceu meu avô e ela disse que não... Ele era amiguinho dos irmãos e desde criança freqüentava a família... A família dele não gostava dela... Diz que o sogro era pernambucano e a sogra do Rio Grande do Norte... Ambos arretados, segundo ela, vieram fugidos, pk ele era orador do grupo de Antônio Silvino...

Nas vésperas de casamento minha avó e meu avô tiveram uma briga de rolar no chão (ele pensa que nós n sabemos, n gosta de comentar)... Casaram ainda sim... No casamento, de parente dele só uma tia... Passado os anos, ela virou a nora favorita... Casada de pouco recebeu a noticia da morte de Getulio, chorou e ainda hj se emociona qdo diz: Nunca haverá outro presidente tal como Getulio... Contou que em períodos da ditadura militar sua mãe escondeu armas e livros, dos irmãos, em baixo de um pé de mamão... Que qdo Prestes esteve em nossa cidade, foi recebido por um deles...

Falou que ficou maravilhada, com os três filhos na sala em 69 qdo viu o homem pisando na lua... Ficou horas falando sobre as levadisses das crianças.. Das dificuldades da vida... Das vitórias... Da alegria de ter formado cada um deles... De ter sido avó, da tristeza dos casamentos n terem dado certo... Lembrou que já era avó qdo o muro de Berlim caiu... E que ainda ontem ficou chocada qdo aqueles aviões se lançaram nas duas torres... Por fim me disse: O tempo passa que a gente nem percebe, parece que foi ontem q isso tudo aconteceu...


E eu que me sinto em crise por causa dos 25 cheguei à conclusão que fazer 80 é um barato...



2 comentários:

  1. nossa!

    cm eu queria ter avó p dividir essas coisinhas
    linda a vovó Ruth q ama o Getúlio

    uahuahauuahuaua

    ResponderExcluir
  2. Moço, vc escreve de um jeito que me encanta, queria ter essa desenvoltura que vc tem com as palavras.

    ResponderExcluir